Osteofitose (bico de papagaio): quais são os sintomas, como prevenir e qual o tratamento?

Um problema que afeta grande parte da população é a famosa dor na coluna. Além de causar muito incômodo, ela pode indicar sérios problemas, como a osteofitose (bico de papagaio).

Saiba quais são os sintomas dessa patologia, a melhor forma de prevenção e também o tratamento indicado.

O que é osteofitose (bico de papagaio)?

A osteofitose é uma patologia que acomete a coluna vertebral. Trata-se de uma das manifestações da artrose.

O bico de papagaio, como também é chamada, se forma ao redor das articulações, deixando ligamentos e músculos que cercam a bacia, mais rígidos.

Essas alterações surgem por causa da desidratação do disco intervertebral, favorecendo a aproximação das vértebras e tornando possível a compressão das raízes nervosas.

De modo geral, os osteófitos podem ser considerados um tipo de defesa do organismo, visando absorver a sobrecarga exercida sobre as articulações, tentando, assim, estabilizar a coluna vertebral.

O nome “bico de papagaio” se tornou popular por causa da semelhança da expansão óssea com o bico recurvado da ave.

Quais são as causas e sintomas do bico de papagaio?

A osteofitose afeta, especialmente, pessoas com mais de 50 anos, mas também pode se manifestar em pessoas mais jovens, desde que expostas aos fatores de risco.

Entre as causas mais comuns da doença, além do desgaste natural dos discos intervertebrais e da predisposição genética, destacamos:

  • má postura;
  • sedentarismo;
  • obesidade;
  • traumas na coluna;
  • doenças reumáticas.

Entre os principais sintomas da osteofitose estão: intensas dores nas costas, perda da força muscular, dos reflexos e da sensibilidade, existência de limitação dos movimentos e sensação de formigamento.

No entanto, esses sintomas são bem parecidos com os de outras doenças osteoarticulares, principalmente da coluna. Por isso, para confirmar o diagnóstico, ir ao médico ortopedista é essencial.

Como é feito o tratamento da osteofitose?

Como a doença não tem cura, o tratamento atua para aliviar a dor e diminuir a sensação de desconforto.

Além dos analgésicos, anti-inflamatórios e mesmo fisioterapia, o mais recomendado é desenvolver hábitos que proporcionem a correção dos problemas de postura.

Os casos mais graves, como o desalinhamento progressivo da coluna ou mesmo a evolução de um distúrbio neurológico, podem exigir intervenção cirúrgica.

Vale frisar que a prática regular de exercícios físicos, assim como a fisioterapia, é um recurso indicado para o controle da doença.

Quais são as melhores formas de prevenir?

Para prevenir a osteofitose, alguns cuidados são fundamentais:

Evitar o sobrepeso

A obesidade é um dos principais fatores que podem levar ao desgaste articular, provocando a calcificação das vértebras e, assim, o bico de papagaio.

Por isso, é muito importante manter uma dieta alimentar saudável, a fim de manter o peso adequado conforme a altura e o estilo de vida de cada pessoa.

Praticar atividades físicas

Fundamentais para fortalecer a musculatura, as atividades físicas, como as que são realizadas na água, exercícios de baixo impacto e alongamentos, são as mais indicadas para prevenir a doença.

Corrigir a postura

A coluna vertebral exige uma série de cuidados. Logo, sentar-se corretamente e ter atenção para que as movimentações sejam realizadas de forma adequada evitam pequenas fraturas e também o bico de papagaio.

Fazer fisioterapia

Nos casos mais leves da doença, a fisioterapia é muito indicada. Nos mais graves, somente os procedimentos cirúrgicos poderão ajudar.

Gostou de saber mais sobre a o bico de papagaio? Então, baixe o nosso aplicativo e saiba como ter uma vida com mais qualidade e saúde.